Cultura Imaterial

     Por não poder ser tocada como um objeto qualquer, mas sim percebida e sentida com o coração, o Patrimônio Cultural Imaterial de um povo tem grande importância porque fortalece os elos de uma corrente cultural. Podemos considerar como Patrimômio Imaterial em Milagres, a Festa de Nossa Senhora do Milagres, os Congos, a Banda Cabaçal, os Grupos de Quadrilhas Juninas, o Artesanato, os Penitentes, dentre outros.

     Conheça um pouco da história de pessoas que se destacaram e se destacam produzindo Cultura e Artes, são eles:
Escultura e Pintura | Na Música | Escritores | Artesanato | Congada | Reizado


Teatro
Raimundo Hélio     Raimundo Hélio Grangeiro Ferreira, nascido em Milagres-Ceará no dia 17 de Agosto de1959. Eram seus pais o senhor Geraldo Ferreira Cândido, mais conhecido como Geraldo sacristăo, pois o mesmo trabalhou nesse oficio uns quarenta anos na Paróquia de Milagres, também comerciante por muito tempo; sua măe a senhora Betisa Grangeiro Ferreira, doméstica muito prendada nas artes da culinária e custura, residente a rua 7 de setembro nessa cidade.


Encenaçao da Paixao de Cristo dirigida por Raimundo Hélio     Destacou-se por dez anos apresentando a encenaçăo da peça a "Paixăo de Cristo" que lhe conferiu em 1993 o troféu Carlos Câmara organizado pelo teatrólogo Marcelo Costa diretor do grupo de teatro Balaio, o reconhecimento como diretor da melhor apresentaçăo da Paixăo de Cristo ao ar livre no estado do Ceará.
     Por vários anos idealizou e ornamentou a igreja matriz e o carro andor de Nossa Senhora dos Milagres, por ocasiăo da sua tradicional festa que se realiza em Milagres de 6 a 15 de Agosto data máxima de sua terra natal.
Topo

Escultura e pinturaFrancisco Alves (Ferreirinha)
     Destaca-se Francisco Alves Ferreira (Ferreirinha) filho do casal, Manuel Evangelista Alves e Francisca Sila Ferreira Alves, desde a adolescência mostrou tendências para as artes plásticas, sem participar de oficinas de arte, morando com seus pais, ex-aluno do patronato e com o apoio do artista Raimundo Alves Hélio Grangeiro aprimorou suas técnicas na cultura e na pintura.Obras de Ferreirinha
     Sendo nosso meio desprovido de apoio artístico, o mesmo transfere-se para Fortaleza, onde fixa residência e lá aprimora suas técnicas através do curso oferecido pelo CEFET onde conclui o curso de artes plasticas. Hoje mantém o seu próprio atelię instalado na avenida Dom Manuel em Fortaleza.
Topo


Na música

Socorro Sampaio - Criou Hino de Milagres*     Chico Xavier, filho de Milagres atualmente reside no Rio de Janeiro, além de cantor e compositor é autor de mais de 200 músicas gravadas por diversos de renome, Chico Xavier hoje em nossa música é um nome de muito respeito.
*     Maria do Socorro Grangeiro Sampaio, autora e compositora dos hinos: hino do municipio de Milagres, Hino das mulheres, Hino da ACOM, Hino do Colégio Estadual Lindalva de Morais, Hino do Instituto Menino Jesus e outros.Banda de Música
*     Origem da Banda de Música de Milagres, com base no levantamento feito sobre a origem da banda, podemos fazer alguns registros bem como: Nasceu em julho de 1947, era organizada pelos seguintes representantes: Luiz Benício, Leopoldo, José Arimatéia . Estes, Eram tidos como mestres na época, na criaçăo da mesma.
Topo

Escritores
Francisco Rubens*    Francisco Rubens Coelho Figueiredo, Tem cinqüenta anos completo, Seus pais Luiz Nicomedes Figueiredo e Naide Coelho Figueiredo. Seus estudos primários foram realizados em Milagres, O ginásio e o primeiro ano colegial no tradicional Liceu do Ceará, concluindo o clássico no colégio Săo José, de fortaleza.
Entre as atividades culturais e literárias das quais participou, destacam-se: como integrante do grupo de teatro do centro popular de cultura, em, fortaleza até 1964, membro fundador de um grupo de teatro amador no sindicato dos bancários, sócio fundador e seu primeiro presidente da associaçăo cultural de Vila Prudente, entre outros. Durante oito anos escreveu artigos, crônicas e cantos para o jornal gazeta do oeste de Mossoró. Alguns desses trabalhos estăo publicados no fragmentos da vida. Atualmente o autor mantém uma coluna dominical no centenário jornal "O Mossoroense", na mesma cidade.
Audálio Gomes*     Audálio Gomes Alves, nasceu na cidade de Milagres, no dia 25 de outubro de 1933.
E membro do sindicatos dos escritores no Rio de Janeiro, e membro dá academia Cearense de ciências, letras e artes no Rio de Janeiro.
Editor das obras: No embalo da Maré e homem ao mar, Poemas e Poesias 1, Cantos e Poemas no Brasil, Anuário de poetas, Antologia Poética da cidade do Rio da Janeiro, Escritores de Ouro 1990, Contos e poemas do brasil, entre outros.
Waldemar Alves*     Waldemar Alves Pereira, nasceu em Milagres, no vale ubérrimo do Cariri, no dia 12 de julho de 1911.
Presidente do clube Liceal. Orador do centro acadêmico Clóvis Beviláqua.
Editou as seguintes obras: Ângulos e horizontes, Entre Excelências e Majestades, Nos Horizontes do Tempo, Na Cidade das Letras e No horizonte das Idéias.
O membro da Academia Cearense de Língua Portuguesa, da Associaçăo Cearense de Majestade e da Associaçăo cearense de Imprensa. É casado, tem seis filhos e treze netos, reside em Fortaleza.
Flávio Morais*    José Flávio Bezerra Morais, juiz e escritor tem 38 anos. Natural de Milagres-Ce, é casado e pai de uma filha de 2 anos e 4 meses. Falclorista, escritor, poeta compositor, recentimente empassado no cargo de juiz de direito do Estado da Bahia, nasceu no Ceará, em 1970 seu entenso convivio, na entlância, com contos fantásticos populares fez dele um apaixonado pelo gênero tanto que, depois de sua graduação no curso de letros resoveu publicar livros em que encantava histórias de assombração.
Sete contos de arrepiar e seu trabalho mais recnte, resultado de dois grandes desejos: compartilhar com os leitores a paixão por essas narrativas orais aqui registrados e garrantir-lhes a eterminidade, na memória e no coração de todos.
*   Padre Misael Gomes, as mais fortes caracteristicas do povo romano (1920), primeiras lições (1924). Discursos ao Dr. Washigton Luis (1926). O ponteficodo romano (1929), influência do mundo oriental na civilização do ocidente (1934). A ciência da "Literatura" (1937). Discursos de recepção (1938) servir a pátria e o instituto (1943), monsenhor furtado através dos ninhos reminecência (1954) Ceará e Paraíba (1969) jornal O Povo 21/08/1984.
Topo


Artesanato
     A Escola Artesanal Santa Teresinha Funcionou por muito tempo nas instalaçőes do antigo Colégio Santa Terezinha.Escola  Artesanal - Santa Teresinha
     Tendo em frente como diretora Tarsila Rodrigues, essa escola era mantida através de convênios com a LBA e a Prefeitura Municipal.
     Destacamos nesta área alguns filhos de Milagres.
     Na área de fazer flores - A senhora Regina Grangeiro Amorim
     Em couro - Os irmăos Francisco Almir Braga e José Auri Braga
     Sapateiros - Joăo Beato e Joăo Laurindo.
     Tecelagem (arte de fazer rede no tear) - Maria Valadares
     Artesăo de barro (argila) - A família Cesário dos Reis.
     Josefa CabralArtesă de brinquedo de pano - Josefa Cabral
     Na poesia - Maria Eunice Sobreira, Raimundo Hélio Grangeiro, Joanacele Ribeiro Nóbrega, Maria do Socorro Leite Lima.
     Qual o milagrense que não conhece Zefa Cabral, aquela velha tão branquinha, de olhos azuis e cabeleira de neve, que esmola pelas ruas da cidade, cuja “mania” é louvar a Deus em cada frase que se deixa escapar de seus lábios rosados? Foi ou ainda é doente mental...
Elas faz bonecas de pano e como as faz bonitinhas!
Topo

Congada
Congos de OntemCongos de Ontem     Daquela linguagem de negros de negros em idade média formava-se este grupo que de preferencia nas festas religiosas enfeitavam-se de coloridos os átrios da igreja Matriz de Nossa Senhora dos Milagres e da capela de Nossa Senhora do Rosário, com suas cantigas, passos, maracás, espada de paus, autos capacetes, salpicados de espelhos, com fantasias em forma de saiotes vermelhos enfeitados de bico de renda. Fazia parte deste grupo alguns Milagrenses como: Manoel Quirino, Pedro Mororó, Doca Zacarias (que é tido como mestre da cultura popular de Milagres).
Topo

Reizado
     Milagres guarda em suas lembranças o Reizado, festa popular realizada de Dezembro a Janeiro. Tinha como figura bem conhecida a pessoa de José Miranda que fazia o papel de Mateus, fantasiado com um papelão, cara pintada de preto, roupas coloridas, que saia pelas rias brincando com seus grupo com espadas de pau nas Natal até o dia dos reis.
Topo

 

 

 

Português Inglês